Cronologia da Cabanagem (2)

[1825  –  1831]

1825

Janeiro – Decreto da corte substituindo Araújo Rozo.

Março – Batista Campos é novamente enviado preso para o Rio de Janeiro. Um ano depois seria absolvido e nomeado arcipreste e cavaleiro. Voltaria ao Pará em julho para assumir a direção da catedral.

Maio – Toma posse o novo presidente da província, José Felix Pereira de Burgos.

1826

Abril, 25 – Rebelião em Cametá, comandada por dois soldados desertores. Eles vencem a batalha contra a expedição militar enviada de Belém, mas são controlados pelos portugueses, que conseguem escapar à prisão e atacam de surpresa, valendo-se de traição entre os rebeldes.

Maio – Arbitrariedades são praticadas no curso da apuração sobre os envolvidos na rebelião de Cametá.

Novembro – O ouvidor Mariano Ferreira, adepto de ideias políticas mais avançadas, é suspenso pelo presidente da província. Tenta resistir, mas o conselho provincial aprova a suspensão.

1828

Abril, 14 – Posse do novo presidente da província, o barão de Bagé.

1830

Julho, 14 – Pereira de Burgos volta ao governo da província, já como barão.

Novembro – O brigadeiro José Soares Andrea assume o comando das armas.

1831

Maio – Tentativa de afastar Andrea do comando das armas.

Junho, 2 – Motim de 34 soldados é dominado pela tropa com o auxílio de portugueses armados, que formam depois a guarda nacional e ficam com o controle dos armamentos e da munição.

Junho – Mesmo demitido, Burgos não deixa a presidência para não entregá-la a Batista Campos, que era vice-presidente. Também demitido, o brigadeiro Andrea segue para o Rio de Janeiro.

Julho – Organização da Sociedade Patriótica, Instrutiva e Filantrópica, sociedade secreta liderada por Batista Campos.

Julho, 19 – Toma posse o novo presidente da província, o visconde de Goiana.

Agosto, 7 – Golpe militar articulado pelos portugueses depõe o presidente da província, prende e deporta Batista Campos e mais nove pessoas. Marcelino José Cardoso assume a presidência.

Setembro – Reação portuguesa em Santarém, com perseguição aos nacionais. O governo envia uma expedição militar à vila para restabelecer a ordem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s